Nossa História

Breve História do Segmento da Cultura, no Âmbito da Administração Pública Municipal, 1982 a 2010

A gênese das ações do Município de Manaus, no campo da Cultura, acontece no período de 19833/1986, com a criação da Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer – SEMCLA. A gestão do órgão foi assumida pelo intelectual, escritor e cineasta Cleber Sanches.

Na época, os assuntos concernentes ao segmento da Cultura eram geridos pela Secretaria Municipal de Educação – SEMED, órgão da Prefeitura de Manaus, subordinado ao Ministério da Educação – MEC, em âmbito federal.

Em 1985, com a criação do Ministério da Cultura – MinC, o setor cultural ganhou representatividade no cenário político-administrativo brasileiro e, conseqüentemente, os planos e projetos culturais tornam-se factíveis, devido aos interesses públicos e sociais prementes e à disponibilização dos recursos necessários.

Na administração 1989/1993 é decretada a extinção da Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer – SEMCLA (1992); e a criação de novo órgão gestor, a Fundação Villa Lobos – FVL, de estrutura política, financeira e administrativa mais ágil, através da Lei nº 175, de 10/03/1993, com o objetivo de realizar a difusão, fomento e promoção cultural na Cidade de Manaus, que torna-se responsável pelos destinos do segmento artístico-cultural.

As ações voltadas à Cultura e às Artes receberam especial no período de 1993-1994.

Durante 1993/1996, a entidade que priorizou a implementação de projetos relacionados à difusão da cultura erudita, com ênfase na música clássica.

Em perfeita sintonia com as políticas abraçadas pelo governo municipal, a Fundação Villa Lobos – FVL ganhou destaque e visibilidade, firmando-se perante a classe artística por meio da implementação de ações que passaram a integrar o cotidiano da cidade e, mais ainda, a própria agenda política e administrativa da Prefeitura de Manaus.

Fundamentadas em sólidos objetivos, as ações da entidade desenvolveram-se celeremente no biênio 1994-1996.

Mais tarde, entre 1997/2004, a presidência da Fundação Villa Lobos – FVL foi assumida pela jornalista, pós-graduada em marketing, compositora e cantora Lívia Mendes, que amplia o universo de atividades da entidade, abrangendo aquelas relacionadas com a cultura popular.

A diretora-presidente priorizou ações no sentido de prover a Fundação com uma sede à altura de suas exigências administrativas e operacionais, capaz de manter em segurança o acervo acumulado ao longo dos anos.

Simultaneamente, foi promovido o estreitamento das relações da Prefeitura de Manaus com os artistas manauenses das várias vertentes, estilos e manifestações, incentivando-os a unirem-se em associações e a regularizarem-se profissionalmente junto aos órgãos trabalhistas.

Página 2 | 3