Nossa História

O projeto “Valores da Terra”, implementado no período de 2001/2004, foi um divisor de águas da Música Popular Amazonense.

A sua implementação proporcionou visibilidade à MPA nos âmbitos estadual, nacional e internacional, revelando e promovendo os trabalhos de mais de 200 artistas (músicos, compositores, cantores etc.) locais; que, pela primeira vez, tiveram a oportunidade de gravar seus trabalhos em cd, sob o patrocínio total do Município de Manaus.

Cerca de R$2 milhões foram investidos pela FVL, em ações que também abrangeram os setores do Teatro e do Cinema, além da publicação de obras literárias de autores amazonenses.

Em 2002, devido ao inverno rigoroso que castigou Manaus, o prédio da Fundação Villa Lobos – FVL (então situado na Rua Recife, no antigo balneário do Parque Dez de Novembro), foi severamente inundado devido ao transbordamento das águas do Igarapé do Mindu.

Grande parte do acervo da entidade (mobiliário, equipamentos, instrumentos musicais etc.) foi irremediavelmente destruído, demandando a necessidade de recuperação de toda a estrutura física e operacional, o que foi realizado ainda durante a gestão da diretora-presidente Lívia Mendes.

No período de 2005/2008, a presidência da Fundação Villa Lobos – FVL foi assumida pelo artista e professor Tony Medeiros.

Entre as ações de relevância implementadas pela FVL, na época, encontra-se a instituição do Programa de Incentivo ao Estudante de Música – PIEM, voltado a estudantes concludentes e/ou formados nos níveis de ensino fundamental, médio e superior; com o objetivo de incentivar o ensino da música, estimular o estudo de instrumentos musicais e de canto e desenvolver a prática de conjunto musical junto à Orquestra Sinfônica de Manaus, entre outros.

Em 2007, é decretada a extinção da Fundação Villa Lobos – FVL, seguida da criação do novo órgão cultural, a Secretaria Municipal de Cultura – SEMC.

A gestão do órgão é confiada à professora, mestre em artes e doutora em Comunicação e Semiótica, Rosemara Staub, que deu prosseguimento às ações do PIEM.

Durante a mesma administração assumiram a Secretaria Municipal de Cultura – SEMC o jornalista Sebastião Assante, substituído nos últimos meses pela também jornalista Lúcia Cordeiro.

Em 2009, devido à reforma administrativa, a Secretaria Municipal de Cultura – SEMC e a Fundação Municipal de Turismo – MANAUSTUR são fundidas e, assim, nasce a Fundação Municipal de Cultura e Turismo – ManausCulT, conforme a Lei nº 1.321, de 16 de abril de 2009.

O órgão é assumido pela jornalista, pós-graduada em marketing, compositora e cantora Lívia Mendes (antiga diretora-presidente da Fundação Villa Lobos – FVL), por meio de decreto de 05/01/2009, publicado do Diário Oficial do Município (DOM) nº 2118.

Páginas 1  | 3